quarta-feira, 30 de julho de 2014

O nascimento da irmã mais velha

"Ah, tadinha. Vai perder o trono quando os dois meninos chegarem"

Assim que eu ouvi isso sendo dito para a minha pequena, olhei para ela e, com toda calma, disse:

- Ih filha. Explica que lá em casa só tem um banheiro e que ninguém vai perder privada nenhuma. Vai ficar congestionado, mas eu separo uma horinha pra você fazer seu xixi.

Ela deu risada, repetiu exatamente o que eu havia dito e a pessoa que soltou a pérola sem noção deu um sorriso sem graça. Não sei se ela entendeu o recado, mas eu não pude ficar quieta. 

Para mim, um dos maiores desafios dessa segunda gravidez têm sido preparar a Amelie para a chegada dos irmãos. Serão dois, de uma vez. O fato de serem meninos facilita um pouco as coisas -afinal, não vai ter ninguém pra disputar os laços, vestidos e batons com ela. Mas, até agora, ela sempre foi o centro das atenções e, por mais que a gente se esforce, ela vai perder a atenção exclusiva que vem recebendo nos últimos 4 anos. 

Até agora, ela tem sido bastante compreensiva quanto à chegada dos meninos. E eu tenho feito algumas coisas pra que esta transição seja o mais suave possível:
  • Todo dia reforço a independência dela e é impressionante o quanto ela se desprendeu de mim nesses últimos meses. Faz questão de ajudar nas tarefas de casa e arrumar as coisinhas dela. E ela tem se sentido muito importante com isso;
  • Deixei que ela assistisse a programas dedicados à chegada de bebês ao mundo. Daqueles que mostram o parto, o bebê recém-nascido, os primeiros cuidados. Não fiz para chocá-la, mas para que ela entenda todo o processo da chegada dos irmãos;
  • Ela também tem me acompanhado às consultas com o obstetra. Normalmente, ela faz perguntas para ele e segura minha mão enquanto ele examina a barriga. ♥
  • É ela que abre todos os presentes que os bebês ganham. No começo foi bem difícil explicar que eles estavam ganhando coisas porque não tinham nada. Agora, ela comemora com a mamãe a cada pacote de fralda que ganhamos e não faz questão de ter presentes também.
  • semana que vem vou arrumar a mala da maternidade (sim, ainda não fiz nada disso). E vou deixar que ela escolha as roupinhas que os irmãos usarão nos primeiros dias de vida. Acho que ela vai ficar feliz.
  • Anteontem ela fez o primeiro desenho dos irmãos. Ela, grande e com todos os detalhes (incluindo pupilas, cílios e zaz) e os irmãos somente como duas cabeças e corpinhos de palito (sem mãos ou pés). Mas já é alguma coisa!
  • Outra coisa é que ela resgatou uma boneca, a Julieta, e tem andado com a "filha" dela pra cima e pra baixo. Tem cuidado dela igual um bebê e eu tenho achado isso bem legal. Ela senta com a gente na hora das refeições, ganha cuidados e carinhos e participa das brincadeiras com a gente;
  • Para o nascimento dos meninos, estamos pensando em comprar um presente de mocinha para ela e dizer que foram os irmãos que mandaram. Acho que pode ser simpático.
Mas, é claro que existem algumas coisas que mostram que ela não está tão confortável assim com esse novo futuro que se desenha. Faz 3 semanas que ela não quer ficar sozinha. Que não vai a lugar algum sozinha, na verdade. Meu apartamento é um ovo e, mesmo eu conseguindo vê-la de qualquer lugar, tenho que acompanhá-la a todo momento. Não sei de onde surgiu esse medo todo. 

Outro dia ela rabiscou uma história em que haviam dois irmãos gêmeos. Rabiscou com força a carinha dos meninos. Não falamos nada. Faz parte não gostar também, não é? 

Enfim, só saberemos como será a reação dela quando os pequenos chegarem em casa! E tá faltando pouco!  

Minha mocinha linda!




Nenhum comentário:

Postar um comentário