quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Ah, o dilema do trabalho!

Eu comecei a trabalhar aos 15 anos. Meu primeiro emprego foi um estágio como técnica em administração em um grande (e chic) shopping de Sampa. Aprendi a ganhar meu dinheirinho e passei a achar inadmissível pedir qualquer quantia para meus pais. Claro que isso acontecia vez ou outra, mas sempre fui bem controlada quanto a gastos.


Aí eu me formei em jornalismo e caí de cara no trabalho. Quando grávida, trabalhei até uma semana antes da Amelie nascer e voltei à labuta quando ela completou 5 meses. E eu estava decidida a crescer, ter mais experiência e ganhar mais para dar um pouco  de tranquilidade financeira à nossa pequena família. E aí veio o destino e soprou meus planos no vento.


Faz 8 meses que eu parei de trabalhar  e, desde então, tenho acompanhado - com prazer - o desenvolvimento da pequena. Sinto falta de trabalhar? Muito. Às vezes me dá vontade de chorar... Mas não me arrependo das escolhas que fiz.


Aliás, se eu fizer uma análise franca, digo com toda convicção de que trabalho muito mais em casa do que quando eu tinha um emprego formal. Vivo de olheiras, cabelo bagunçado e unhas cheias de cutículas. Minhas roupas sempre têm manchas esquisitas e aposentei a bolsa particular: carrego minhas coisas na bolsa da Amelie, por ser mais prático.


Acontece que, agora que a pequena está mais forte, mais saudável e mais esperta, a escola volta a ser uma forte possibilidade (até porque, uma hora ela vai ter que estudar, não?). Mas eu tenho repensado muito as minhas escolhas e sei que não quero um emprego que consuma 14, até 15 horas do meu dia. Sei também que não quero que ela fique na escola em tempo integral: acho que meio período é o ideal na idade dela. Mas as escolas estão tão caras que eu não tenho condição de bancar a mensalidade sem ter um trabalho fixo. Então, comofaz?


Este é meu dilema, esta é minha realidade atual - e acredito que muitas mães passam por isso. 


Por isso, se eu tiver uma ideia mirabolante, conto para vocês. =)



Um comentário:

  1. Por favor se tiver a tal ideia, quero ser a primeira a saber messssssmo! kkkkkkk... Erica Sodré.

    ResponderExcluir