quarta-feira, 26 de março de 2014

Sobre a nova escola da Amelie

Quem acompanha o blog sabe que eu enfrentei alguns problemas na antiga escola da Amelie. Não concordava com muita coisa e não conseguia encontrar espaço para dialogar com a administração do colégio. Então, no final do ano passado começamos a procura insana por uma escola que pudesse atender às nossas expectativas e não exigissem um rim por mês.

Não sei se foi o destino ou sorte da grande, mas nós conseguimos uma vaga numa escola onde meu marido é professor. Na primeira reunião eu quase chorei de emoção ao ver o material informativo:os valores institucionais são bem parecidos com o que a gente acredita que possam contribuir para o desenvolvimento da pequena, além de um cardápio incrível e um ambiente simples, porém acolhedor. 

Meu único receio era a adaptação. Na primeira escola, Amelie chorou por mais de um mês na entrada. E eu tinha problemas dia sim-dia não para convencê-la de que era preciso levantar  para estudar. Este ano a pequena teria de acordar bem mais cedo e teria um dia puxado.

Mas ela não chorou uma vez sequer. Reclamava da saudade dos amigos, dizendo que queria visitá-los. Isso durou uma semana. Depois, ela já começou a falar que adoraria que os amigos "velhos" fossem para a escola nova dela. Até que, num sábado, tive de aguentar o chororô matinal porque não era dia de aula. BINGO! Adaptação completa.

Mas aí meus queridos, ela ficou a vontade demais. E a professora já me chamou na escola para falar que a Amelie não tem feito as atividades de sala por conversar demais. Nessa, ela puxou a mamãe aqui.

Aí, toca  ter uma conversa séria com a pequena e explicar a necessidade e a importância da escola na vidinha dela. Pronto. Já tá ficando uma mocinha! 

Um comentário:

  1. Que notícia boa!!!!!!

    Espero que ela continue gostando, aprenda muito e acima de tudo que ela se divirta!!!! Porque criança merece rir muito e se divertir o dobro =)

    Um beijinho nas duas, ops nos 4 hehehe.
    Bjs, amo seus textos =)

    ResponderExcluir