quinta-feira, 31 de março de 2011

Papai medroso

A Amelie começou a engatinhar faz uma semana, mas já percorre grandes distâncias em pouquíssimo tempo. Por conta disso, tivemos de fazer algumas modificações em casa e, a partir de agora, temos de manter a porta do banheiro sempre fechada se não quisermos encontrar uma bebê com a boca cheia de papel higiênico.



Tenho deixado ela correr livre e solta, com supervisão, claro. Mas isso dá muito mais trabalho, pois tenho que varrer e passar pano no chão toda hora, uma vez que a pequena é craque em encontrar e comer os mais diversos tipos de poeira e sujeirinhas. Ela já levanta sozinha, apoiando nos móveis que encontra e, quando cansa, senta sozinha também (santa fralda que amortece a queda e protege seu bumbum).


Mas, o papai não gosta muito da ideia de deixá-la solta. Morre de medo que ela escorregue e caia. Quando eu chego do trabalho (ele fica mais ou menos 1 hora com ela antes de eu chegar) ele está quase maluco. “Não consegui nem ir fazer um xixi”, é uma frase bem recorrente. Ele simplesmente não consegue deixá-la um minutinho sozinha. Se não é a tomada, é a mesa, as cadeiras, a mesinha. Para meu marido, tudo é eminentemente perigoso e


Ele tem lá sua razão. Mas é com os tropeços que a gente aprende a ficar em pé. E quero que minha pequena tenha as melhores e mais gostosas lembranças dessa fase!

2 comentários:

  1. ah, Zi! como ela está crescendo rápido, hein?! já, já ela ganhará o mundo com suas próprias pernas! delícia!
    parabéns!
    beijo

    ResponderExcluir
  2. É, Zi, impossível evitar os tombos dos pequenos. Nós, pais, queremos proteger sempre. Mas é como você diz: é caindo que a gente aprende a levantar. Saudade! bjo
    Paloma e Isa

    ResponderExcluir