sábado, 17 de setembro de 2011

Dieta na gravidez


Esses dias, muita gente entrou aqui no blog a procura de informações sobre alimentação para gestantes com diabetes gestacional e a única coisa que eu posso relatar é a experiência que tive com a dieta que a minha médica me passou. 

Antes de qualquer coisa, acho essencial que a gestante procure um endocrinologista assim que a diabetes for diagnosticada. É este profissional quem vai decidir o que é melhor para você e para o bebê. No meu caso, só a dieta foi suficiente, mas existem situações em que a gestante precisa também tomar remédio para controlar os níveis de glicose no sangue.

Eu estava bem acima do peso quando engravidei e na 25ª semana (quando eu descobri a diabetes) já havia engordado mais sete quilos. Por isso, eu sempre ouvia: "Nossa!!! Mas tem certeza que esse bebê não vai nascer amanhã? Sua barriga já está enooooorme!" Não bem bem, eu to gorda mesmo e tudo o que você falou é especialmente desagradável. 

Fora o peso a mais, me sentia extremamente cansada, estafada, irritada. Realmente achava que não seria capaz de conseguir trabalhar até o final da gestação. Enfim, minha  endrócrino (a querida Dra. Alina Coutinho, de Salvador) me passou uma dieta rica em cálcio e pobre em gorduras e carboidrato. O que isso significa? Nada de doce, pão branco, arroz ou macarrão. Nada de azeite na salada ou óleo na preparação da comida. Nada de sal. Queijo? Só o cottage. Sobremesa, uma vez por semana: duas bolas pequenas ou um picolé Molico. E só. (Como vocês podem perceber, minhas refeições eram uma explosão de sabor!!!)


As primeiras semanas foram MUITO difíceis, ainda mais que eu trabalhava ao lado de uma fábrica de chocolates. A vontade que eu tinha era de comer uma mesa.  E eu nem podia trapacear, porque eu controlava os níveis da diabetes com o glicosímetro. Como funcionava: duas horas depois de cada refeição eu tinha de furar meu dedo para saber se meu pâncreas estava dando conta do que eu havia comido. 


Algumas coisas jogavam a minha glicemia nas alturas, como melancia. Milho então, só de olhar já deixava todos os açúcares do meu corpinho alvoroçados.

Porém, depois de duas semanas da dieta eu comecei a me sentir muuuuuuito melhor, mais disposta, mais bem humorada. E comecei a emagrecer. Da 25ª à 37ª semana, eu perdi seis quilos - de maneira completamente saudável!

Minha diabetes não regrediu completamente após o parto e agora eu sou pré-diabetica. Não continuei com a dieta tão rigorosa, mas procuro maneirar nos doces, pois quando isso acontece, fico cansada, com dor de cabeça. Enfim, meu corpo me avisa que tem algo errado. 

A única coisa que posso dizer é: tenha força de vontade e saiba que fazer o tratamento de maneira adequada pode salvar você e seu bebê de problemas sérios durante o parto e no futuro.

E viva o arroz integral, barrinha de cereal light e queijo cottage!!!! hahahahahahaha

Nenhum comentário:

Postar um comentário