sexta-feira, 20 de maio de 2011

Mãe em tempo integral


E a Amelie não está muito bem. Como vocês têm acompanhado, minha pequena tem ficado doente com muita freqüência. E não é que eu exagero e digo que ela está mal quando na verdade só o nariz está pingando. Fato é que uma simples gripe se transforma em uma crise de bronquite e pronto. Minha bebê fica completamente derrubada. Não come, chora muito , enfim. Fica mal de verdade.

Além dessas crises de bronquite, estamos enfrentando um outro problema: o pouco peso. Com quase 1 ano completo, a Amelie pesa somente 7 quilos e, pasmem, ainda há bodies tamanho P que servem perfeitamente.
Eu já estava um tanto quanto apreensiva com essas coisas, mas o médico que a acompanhava me dizia que estava normal. Mas minha prima médica, que super me acompanhou na gravidez, fez uma avaliação da Amelie a meu pedido e constatou o que eu já via: A Amelie está pequena e magra demais.

Todas as essas coisas culminaram em mais um episódio de bronquite esta semana. Ela ficou ruim, tive que deixar de trabalhar e me apavorou a perspectiva dela contrair uma nova pneumonia. Sua nova médica – que é excepcional, diga-se de passagem – me alertou novamente para seu baixo peso e receitou uma alimentação toda especial (além do tratamento para a bronquite).

E, por conta disso tudo, resolvi parar de trabalhar. Pelo menos por um tempo, até que a Amelie engorde, se estabilize e possa conviver com outras crianças sem ficar sempre a um fio de ser hospitalizada. Digo que foi uma decisão muito difícil, pois sempre defendi que a mulher precisa trabalhar, seja para conquistar independência financeira, plenitude profissional ou simplesmente por poder ter um tempo só para ela. 

Mas agora minha pequena precisa dos meus cuidados. Ela PRECISA de mim e eu seria muito egoísta de ignorar esse pedido silencioso dela. A ideia não é parar para sempre, apenas por um tempo. 

Agora serei mãe em tempo integral. Sei que alguns vão me condenar e outros, apoiar. Fato que esta é uma decisão que, por enquanto, está muito bem definida na minha vida.

7 comentários:

  1. Super te apoiar meu anjo!!!!! Pq vc não faz uns freelas só para não enferrujar? Muita energia boa pra ti e a Amelie. E preciso muito conhecer a fofa, vamos combinar ai te visito em casa
    bjocas

    ResponderExcluir
  2. As decisões que tomamos pouco importa com a opinião dos de fora. Nós mães sabemos bem a necessidade que eles tem da gente e nós também de acalentá-los, dar colo, cuidar, tudo isso que com tanto esforço, mas infinitamente recompensador. Fiquei com o Lucas seu primeiro aninho, e foi o melhor da minha vida... Foi a decisão mais prazerosa que tive, por acompanhar seu desenvolvimento ali de pertinho. Se ela está precisando de você, está mais que apoiada. Antes de profissional, esposa, amiga, somos mães! E hoje sem dúvida sabemos o verdadeiro sentido disso!!

    Um beijo querida, melhoras à linda Amelie

    ResponderExcluir
  3. E dificil dar palpite sem ter antes ter tido uma experiencia semelhante. Porem, neste caso, quero lhe dizer que sua decisao foi correta. Trabalho pode ser novamente encontrado, mas o tempo ao lado da sua filhinha, depois de passado nunca mais volta. Este e um periodo tao importante na vida dela, principalmente por estar passando por periodos de saude afetada. Onde existe a vontade existe o poder. Mude suas prioridades, busque maneiras de viver dentro do orcamento de uma familia com um so salario. Sua filha e a coisa mais importante do mundo no momento. O resto vem com o tempo. Respeito e estou de acordo com sua decisao. Desejo muita saude e amor para Amelie, voce e sua familia. Se cuide. Abracos, Roberto.

    ResponderExcluir
  4. Flor, espero que a Amelie melhore. ÀS vezes, os filhos realmente clamam por nós. E ninguém, além de você e dela, tem que dar opinião sobre o assunto. Você, como mãe, tem o direito de fazer as escolhas que vão fazer vocês mais felizes. Se precisar de algo, é só chamar. bjo
    Paloma e Isa

    ResponderExcluir
  5. Isis, querida,
    Nem sei se você se lembra de mim, a Raquel, amiga da Dessa, nos vimos poucas vezes, mas desde que soube pelas redes sociais que estava grávida acompanho o blog, todos os dias!
    Imagino como deve estar sendo díficil para você, que foi criada em uma geração, assim como eu, de super mulheres, tomar essa decisão. Porém, tenha a certeza, ela foi acertada, nós jornalistas ainda temos a chance de fazer frelas quando é possível e isso ajuda muito, fique tranquila. Força querida, você não está sozinha! Boa sorte! Bjs

    ResponderExcluir
  6. Sabe o que eu acho bonito, Isis? Uma mãe que sabe ouvir um pedido de seu filho. E você faz isso, quando escolhe parar de trabalhar temporariamente pra cuidar dela, e da saúde dela. Parabéns pela decisão corajosa. Espero que ela melhore sua condição geral em pouco tempo, e que você possa voltar ao trabalho com uma filha saudável e a consciência tranquilade que fez tudo o que podia para ajudá-la.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Ahhhh, um dia a Amelie vai te agradecer tanto (com palavras né?) porque com gestos ela já tem te agradecido =P

    ResponderExcluir